“Nada é. Tudo está.”

27/02/2013

A importância do uso dos mantras, suas funções em cada Chakra e como usar:





Por Randler Michel

Pitágoras filósofo 492 AC, provavelmente teria sido o primeiro a descrever sobre a música das esferas. Ele usava o termo “cosmos” para designar o universo organizado e harmonioso. Vários pensadores jônicos também estavam convencidos da existência desta harmonia no universo e que esta poderia ser percebida pela capacidade de observação e experimentação. Dizia Pitágoras  que todos os planetas, inclusive o Sol e a Lua, giram em torno da Terra com a velocidade constante. Seguindo suas órbitas e estas obedecem às mesmas relações presente numa escala musical. Cada planeta produz um som correspondente; Si para o planeta Saturno, Dó para Júpiter, Ré para Marte, Mi para o Sol, Fá para Mercúrio, Sol para Vênus, Lá para Lua. Esta cosmologia musical associada aos sete planetas descritos na astrologia antiga também foi encontrada nas antigas culturas orientais, como na Índia e na China.  Os sábios da Índia foram os primeiros a associarem a energia planetária e suas notas musicais aos nossos centros psíquicos mais conhecidos os 7 Chakras principais.
Nós astrólogos e terapeutas holísticos, temos consciência que os mantras e os sons vocálicos não agem somente no nosso corpo físico. Sua influência física vibracional produzem efeitos de cura e equilíbrio que envolve todo o nosso ser psíquico; nossa aura e seus corpos sutis de energias.
O papel destes centros psíquicos aponta que dependemos muito além do oxigênio que compõe o ar para vivermos como pensa a ciência convencional e sim para que haja a vida necessitamos da energia vital, ou força vital presente no universo, no ar e nos alimentos que ingerimos.  Já o papel de cada um destes centros envolve fornecer energia para o bom funcionamento das glândulas pineal, pituitária ou hipófise, tireoide, timo, pericárdio, supra reinais, e o plexo solar e estas para bom funcionamento do nosso corpo físico e consequentemente favorecer a nossa saúde.
Quando trabalhamos com a vibração presente no som das sete notas musicais ou da entoação dos mantras ou dos sons vocálicos permitimos o equilíbrio de nossos centros psíquicos. Há vários sons vocálicos, mantras e notas par ativar os chakras, abaixo preparei os mais usados por mim.

O mantra OM e o som vocálico AUM, estimulam a nossa glândula pineal, o Chakra Coronário. Nossa consciência do existir com personalidade-alma em evolução. Cor lilás, branco.

Os sons vocálicos Rá e O Má, estimulam a nossa glândula pituitária. Chakra Frontal ou Pituitário. Nossa consciência do perceber o nosso plano espiritual e outros seres de luz. Cor azul escuro.

Os som vocálico Ham, estimula a glândula tireoide. Chakra Laríngeo. Nossa consciência do expressar, do criar. Cor azul claro.

O som vocálico Yam, estimula a glândula timo. Chakra Cardíaco. Consciência dos nossos sentimentos. A importância do amor e do perdão na cura. Cores verde e rosa.

O som vocálico Ram, estimula o nosso Plexo Solar, Chakra Plexo Umbilical. Consciência de sintonização com outro. Sentir o nosso meio e suas vibrações. Cor amarela.

O som vocálico Vam, estimula a glândula renal. Chakra Explênico. Consciência do prazer. Cor laranja.

O som vocálico Lam, estimula  as glândulas reprodutoras, Ovário, Testículos Chakra Básico  consciência da vida no plano material. Cor vermelha.

26/02/2013

Alinhamento de Chakras


Agende seu alinhamento
Fone (51) 9259-2005

Uma dúvida: por que é tão difícil parar de fumar?



Todo mundo sabe direitinho o mal que o cigarro faz para a saúde. Deixa os dentes amarelos, dá mau hálito e afasta os melhores beijos... as roupas e os cabelos ficam com cheiro ruim, a pressão arterial aumenta, dá falta de fôlego e cansaço para praticar exercícios físicos, a pele fica feia e precocemente envelhecida... predispõe a muitos tipos de câncer... ninguém gosta de ficar ao lado de quem está fumando, pois o ambiente com cheiro de cigarro fica insuportável... e por ai vai a lista enorme de malefícios do cigarro...

E não obstante saber tudo isso... quem fuma não consegue parar de fumar!

Muitos fumantes dirão convictamente: “eu fumo porque é gostoso”! Para muitos pode ser, mas muitas outras pessoas continuam fumando simplesmente porque não conseguem parar de fumar. Por quê?

Entenda: o cigarro causa três tipos de dependência: química, psicológica e uma situação que podemos chamar de dependência de condicionamentos.

A nicotina é considerada como uma droga. Atua no sistema nervoso central atrapalhando a liberação de neurotransmissores naturais. Por isso dá uma falsa sensação de euforia, relaxamento e bem estar. Exatamente como uma droga. Por isto é que nos momentos de tensão ou de algum tipo de estresse os fumantes recorrem a um artifício como o cigarro, pois não conseguem lidar sozinhos com tais situações. O grande problema é que a nicotina vicia mesmo. Ai as pessoas passam a depender dela para ter esta sensação de bem estar. Sem nicotina na circulação, surge um intenso nervoso e muita ansiedade, difíceis de suportar. Nesta hora o fumante precisa desesperadamente do cigarro. Fecha-se o ciclo e o vício continua. Isso é que se chama de dependência química. O organismo passa a depender de uma droga externa.

A dependência psicológica é consequência da dependência química. Fumantes tem pavor de se imaginar sem o cigarro. Aflição e medo de não disporem da droga no momento em que necessitam. A dependência psicológica é difícil de sustentar.

Tomar um café e fumar depois...dirigir e fumar...sentar no computador e acender um cigarro...estes são hábitos adquiridos que são difíceis de abandonar. Isso corre pois o fumante passa a relacionar estes hábitos ao fumo. O organismo viciado entende que estas atividades sempre se acompanham de aumento dos níveis de nicotina no organismo. E quem tem dependência química e psicológica, não consegue ficar sem fumar nestas situações. Isso se chama dependência por condicionamentos.

Por tudo isso é MUITO difícil parar de fumar.

Tem um primeiro passo? SIM !

O primeiro passo é querer parar. Mas querer parar de verdade. De verdade, não da “boca prá fora”! Querer parar de verdade e estar disposto a enfrentar uma batalha contra estas dependências. 
As 2 primeiras semanas serão difíceis... mas depois da batalha... a liberdade... SER VERDADEIRAMENTE LIVRE ! Não há recompensa maior.

Fonte: Dra Ana Escobar via Facebook

25/02/2013

Curso: A Magia das Velas e outras Magias.



Conteúdo:
1. Guia de harmonização das velas:
·          Segundo a Forma
·          Segundo a Cor
·          Segundo o Aroma (unção das velas)

2.Como interpretar a chama das velas
3. Como fazer a magia com as velas
4. Ciclo lunar
5. Magia e posição da lua nos signos do zodiaco
6. A magia dos dias da semana
7. Pedras e Cristais
8. Ervas: O poder e a magia das plantas
9. Guia herbal
10. Incensos e sua utilização
11. A força dos planetas
12. As cores (dias da semana, estações do ano e signos)
13. Magia para agradecer seu dia e harmonizar pessoas. 

O investimento para o curso será de R$ 80,00 incluindo apostila e coffee break.

Inscrições até dia 12/03/2013

Pacotes Promocionais




Aproveitem os pacotes promocionais para os meses de Março e Abril.
Atendimentos no Centro de Canoas.
Não espere, agende sua hora.
Fone: (51) 9259-2005 com Lira Guglieri

24/02/2013

Como deixar de absorver as emoções negativas de outras pessoas



Liberdade emocional significa aprender como permanecer centrado em um mundo estressante e emocionalmente sobrecarregado. Desde que emoções, tais como o medo, a raiva e a frustração são energias, você pode potencialmente “captá-las” de pessoas, sem que perceba isto.

Se tende a ser uma esponja emocional, é vital que saiba como deixar de assumir as emoções negativas de um indivíduo. Outra mudança é esta ansiedade crônica, depressão ou stress que podem transformá-lo em uma esponja emocional, esgotando as suas defesas. Subitamente, você se torna intensamente sintonizado com os outros, especialmente aqueles com dor semelhante.

É assim que funciona a empatia: nós nos concentramos em questões polêmicas, que não estão resolvidas para nós mesmos. A partir de um ponto de vista energético, as emoções negativas podem se originar de várias fontes. O que você pode estar sentindo pode ser seu; pode ser de outra pessoa, ou pode ser uma associação. Eu explicarei como saber a diferença e fortalecer estrategicamente as emoções positivas, para que não assuma a negatividade que não lhe pertence.

Isto não foi algo que eu sempre soube como fazer. Ao crescer, minhas namoradas gostavam de ir aos shoppings e festas, quanto maiores, melhores – mas eu não compartilhava de seu entusiasmo. Sentia-me oprimido, exausto diante de grandes grupos de pessoas, embora eu ignorasse o motivo.

“qual é o problema com você?”, diriam os amigos, lançando-me olhares estranhos. Tudo o que eu sabia era que eu não gostava de me misturar em lugares lotados. Eu chegaria lá me sentindo bem, mas partia nervoso, deprimido ou com alguma dor terrível. Sem suspeitar, eu era uma gigantesca esponja, absorvendo as emoções das pessoas ao meu redor.

Com os meus pacientes, eu também perceberia que ao absorver as emoções de outras pessoas, poderiam ser desencadeados ataques de pânico, depressão, farras, bebedeiras, uso de drogas e uma infinidade de sintomas físicos que desafiam o diagnóstico médico tradicional.

Os centros de controle e prevenção de doenças relatam que mais do que dois milhões de americanos sofrem de fadiga crônica. É provável que muitos deles sejam esponjas emocionais.

Aqui estão algumas estratégias da liberdade emocional para que sejam praticadas. Elas o ajudarão a deixar de absorver as emoções de outras pessoas. Etapa da ação emocional:

como permanecer centrado em um mundo estressante para desligar-se das emoções negativas de outras pessoas:

primeiro, pergunte-se: o sentimento é meu, ou de outra pessoa? Poderia ser de ambos. Se a emoção, como o medo, ou a raiva, for sua, gentilmente confronte o que está causando isto em você, ou com a ajuda de um profissional. Se não, tente identificar o gerador óbvio.

Por exemplo, se você já assistiu a uma comédia, mas chegou em casa se sentindo deprimido, pode ter incorporado a depressão das pessoas sentadas ao seu lado. Quando há muita proximidade, os campos de energia se sobrepõem. O mesmo acontece quando se vai a um shopping ou a um concerto lotado.

Quando possível, distancie-se da fonte suspeita. Afaste-se pelo menos sete metros de distância e veja se sente alívio. Não peque, querendo não ofender outros estranhos. Em um local público, não hesite em mudar de lugar, caso tenha uma sensação de depressão imposta a você.

Por alguns minutos, concentre-se em sua respiração. Isto o conecta com a sua essência. Continue expirando a negatividade e inspirando a calma. Isto o ajuda a se ancorar e a purificar o medo, ou outras emoções difíceis. Visualize a negatividade como uma névoa cinzenta se elevando do seu corpo, e a entrada da esperança, como uma luz dourada. Isto pode produzir resultados rápidos.

Emoções negativas, tais como o medo, frequentemente se apresentam em seu centro emocional, no plexo solar. Coloque lá a palma de sua mão, enquanto continua enviando bondade amorosa a esta área, a fim de liberar o stress. Para a depressão, ou a ansiedade de longa data, use este método diariamente para fortalecer este centro. É reconfortante e constrói uma sensação de segurança e de otimismo.

Proteja-se: – uma forma acessível de proteção que muitas pessoas usam, incluindo os curadores com pacientes difíceis, envolve a visualização de um envoltório de luz branca (ou qualquer cor que sintam que confere poder), ao redor de todo o seu corpo. Pense nisto como um escudo que bloqueia a negatividade ou o desconforto físico, mas permite que o que seja positivo se infiltre.

Procure pessoas e situações positivas. Chame um amigo que vê o bem nos outros. Passe algum tempo com algum colega que afirme o lado positivo das coisas. Ouça pessoas esperançosas. Ouça a fé que eles têm em si mesmos e nos outros. Saboreie palavras de esperança, canções e formas de arte.

A esperança é contagiosa e elevará o seu humor. Continue a praticar estas estratégias. Você não tem que reinventar a roda, a cada vez que estiver com uma sobrecarga emocional. Com estratégias, você poderá ter réplicas mais rápidas para situações estressantes, se sentir mais seguro e a sua sensibilidade poderá desabrochar.

Fonte: Cromo Caio via Facebook

23/02/2013

PARALISIA DO PLEXO BRAQUIAL



O plexo braquial é a estrutura a partir do qual tem origem os nervos dos membros superiores.

A lesão do plexo braquial é comum em adultos, principalmente por acidentes de moto, onde ocorre distensão dos nervos. Já a lesão do plexo braquial obstétrica (PBO) ou do lactente é consequente a intercorrências durante o parto, isto é, criança com peso excessivo, apresentação pélvica, tração aplicada a cabeça durante desprendimento do ombro, desproporção entre a cabeça e a pelve, que são mecanismos em que vai haver um afastamento excessivo entre a cervical e o ombro, consequentemente, estirando as raízes nervosas. 

1)PARALISIA DE ERB: É a forma mais comum de lesão. Caracteriza-se por dano às raízes nervosas superiores (C5 e C6) do plexo braquial.
2)PARALISIA DE KLUMPKE: Ocorre com menor frequência. Trata-se de danos as raízes nervosas inferiores (C7, C8, T1) do plexo braquial.
3)PARALISIA DE ERB-KLUMPKE: É a lesão total do plexo braquial. É rara e com difícil determinação da localização exata da lesão anatômica. A lesão afetará todo o braço, que se encontra completamente flácido.


Lombalgia



A lombociatalgia consiste no estreitamento do canal vertebral da região lombar e é de difícil diagnóstico, uma vez que apresenta sintomatologia semelhante à de outras patologias, como hérnia de disco, síndrome do piriforme e artrose discal.
A dor popularmente conhecida como “dor no ciático” é decorrente de uma compressão nervosa na região lombar (L3, L4, L5 e S1), habitualmente resultante de uma hérnia de disco.

A hérnia de disco mais comum é a ocorrida entre as vértebras L5 e S1, sendo, por sua vez, a responsável pela maioria das lombociatalgias. Existem outros fatores que também são capazes de levar à compressão radicular, como, por exemplo, tumores, processos inflamatórios, osteófitos (mais conhecido como “bico-de-papagaio”), entre outros. A articulação sacro-lombar (L5 e S1) corresponde ao ponto de equilíbrio do corpo humano, sendo assim, problemas assimétricos no quadril comumente resultam em problemas por toda a extensão do corpo.

O que caracteriza a lombociatalgia é a irradiação da dor para as nádegas e face posterior da coxa, podendo alcançar até o pé. A intensidade da dor varia desde um pequeno desconforto até uma dor intensa, sendo que a movimentação da coluna exacerba o quadro doloroso. Na maior parte dos casos observa-se transtorno funcional, impossibilitando que o paciente realize suas atividades rotineiras, como trabalhar, recostar ou deitar. Em algumas situações, pode haver total bloqueio funcional, com o paciente permanecendo rigidamente em uma única posição.

A dor pode ser do tipo aguda ou crônica. No primeiro caso ela surge durante a realização de um determinado movimento, como, por exemplo, levantar um peso, enquanto que no segundo caso, vai surgindo gradualmente. Outra característica comum desta patologia é a rigidez matinal, melhorando ao passo que o indivíduo se movimenta. Até movimentos mínimos, como espirrar e tossir gera dor.

Dentre outras manifestações clínicas estão:

Parestesia da região ou do membro ou membros inferiores e pé;
Intensificação da dor à palpação;
Hipertrofia e hipertonia.
O diagnóstico é feito por meio do exame físico, com o quadro clínico apresentado pelo paciente, juntamente com radiografia, a qual evidencia diversos problemas relacionados ao surgimento da lombociatalgia, como:

Escoliose;
Diferença de comprimento entre os membros;
Alterações sacro-ilíacas;
Hiperlordose lombar;
Espondilólise;
Estreitamento do espaço entre as vértebras L5 e S1;
Sacro horizontalizado.
O tratamento pode ser do tipo conservador, que engloba o repouso e o uso de medicamentos, ou o tratamento cirúrgico. O repouso é altamente eficaz nos casos de lombociatalgias; contudo, ele não pode ser longo, pois o repouso em excesso pode causar efeitos negativos sobre o aparelho locomotor. No momento em que o paciente já consiga realizar suas atividades rotineiras, o tempo de repouso deve ser reduzido, estimulando o mesmo a retornar às suas atividades rapidamente.

Após afasta a causa específica da lombociatalgia, o tratamento deve visar controlar a dor, para que o paciente alcance a recuperação funcional o mais depressa possível.

O tratamento de eleição das lombociatalgias é sempre o conservador. Todavia, quando a resposta a este não é satisfatória, podem ser realizados alguns procedimentos invasivos, como infiltrações nas discopatias, tratamento cirúrgico de hérnia discal em casos de déficit neurológico grave agudo, dentre outros procedimentos cirúrgicos.

Banho de limpeza energética com folhas de louro



Quando se sentir cansado, desvitalizado, absorvendo problemas dos outros, experimente tomar um banho com chá de louro: use 5 folhas de louro secas e deixe ferver com 1 litro de água; Abafe o chá por 10 minutos, retire as folhas e deixe esfriar.

Após o banho normal, despeje o chá sobre seu corpo (dos ombros para baixo).

Faça esse procedimento 3 vezes na semana (em dias alternados), e sentir-se-à revigorado e cheio de energia vital; Além disso, seus chakas se beneficiarão do equilíbrio energético, proporcionando saúde e bem-estar.

Colocar folhas de louro em banhos de imersão também beneficia o relaxamento muscular, tonifica o corpo e trata dores articulares.

De: Universo Místico via Facebook

22/02/2013

Relógio do Sono

Cinco passos para a calma



Essa meditação de cinco partes é um convite poderoso para se conectar com o presente quando estiver calmo e uma maravilhosa ajuda para quando estiver nervoso

Respire
Quanto você consegue sentir sua respiração nesse momento? Focar na respiração é uma prática essencial que leva sua atenção para dentro e ajuda-o a experimentar a presença e o fluxo de energia.

Faça algumas respirações lentas e profundas e note como cada uma se move por você.

Quanto seus pulmões e abdome expandem na inspiração e retraem na expiração? Enquanto se torna absorto na respiração, ficará mais atento das sensações em relação à expansão e retração do abdome. Você notará a sensação da respiração movendo pelos pulmões e traqueia.

Enquanto aprofunda o foco, notará o fluxo de ar se movendo pela cavidade sinusal na cabeça. Você sentirá a respiração movimentando-se pelas narinas. Pode até notar que uma narina está mais aberta que a outra.

No seu tempo, mude a concentração de controlar a respiração para simplesmente assistir ao seu corpo respirar. A sensação de respiração é predominante em uma área – abdome, garganta, narinas?

Mantenha a atenção em uma área específica da respiração e quando notar a mente vagando, traga a atenção de volta para a experiência direta do corpo respirando nesse momento.

Relaxe
Quanto mais você consegue relaxar agora? Relaxe os músculos da face. Relaxe lábios e língua. Relaxe garganta e pescoço. Relaxe ombros e braços, cotovelos e palmas das mãos. Relaxe abdome e lombar. Relaxe quadril, joelhos, tornozelos. Relaxe as solas dos pés.

Quanto mais você relaxa, mais aprofunda a atenção da sensação. Enquanto libera a atenção no corpo, observe quanto você é como um ser de energia.

Sinta
Quanto mais consegue sentir agora? Sinta os pontos de contato entre o corpo e o colchão ou a cadeira. Sinta a vibração dos sons em volta de você. Sinta a textura e a temperatura do ar tocando sua pele.

Enquanto foca em sentir, talvez encontre áreas de tensão, estagnação ou congestão. Talvez encontre novas sensações surpreendentemente fortes. Veja se consegue suavizar em volta dessas áreas.

Deixe seu senso de sentir se mover pela sensação física. Sinta o coração e o estado de seu corpo emocional. Sinta o tom de sentimento geral do seu corpo e a qualidade da presença. Tenha conhecimento de quem você é como um ser de energia.

Assista
O que está notando agora? Enquanto respira, relaxe, e sinta, evoque a qualidade de atenção espaçosa. Sinta quem você é como uma testemunha; seja um cientista observando os fenômenos que surgem dentro e em volta de você.

Note a mente racional que serve para comparar, julgar, e procurar entendimento, e, do seu jeito, note a qualidade da atenção além da mente racional.

Permita
Quanto mais você consegue permitir sua experiência de ser exatamente o que é? O que aconteceria se adiciona “nada” a esse momento e renunciasse à necessidade de mudar alguma coisa?

Atenção tem sido descrita como um céu vasto e espaçoso. Sentimentos, pensamentos e sensações mudam constantemente de forma e tamanho como nuvens que passam.

Sinta quem você é sem preferências. Esteja presente ao processo da vida se desdobrando momento a momento.

Jonathan Foust via Facebook

CONHEÇA OS BENEFÍCIOS DO BANHO DE MAR



Não é à toa a crença de que um banho de mar pode "descarregar" energias negativas.

A água do mar tem muitos componentes que trazem relaxamento ao corpo, tiram dores e reenergizam. Não é à toa a crença de que um banho de mar pode "descarregar" energias negativas. Além das propriedades da água, a quebra das ondas no corpo promove uma drenagem linfática e ainda estimula a pele e a circulação.

A água marinha é composta por mais de 80 elementos químicos. Alivia principalmente as tensões musculares, graças à presença de sódio em sua composição — por isso é considerada energizante. A massagem que as ondas fazem no corpo estimula a circulação sanguínea periférica, e isso provoca aumento da oxigenação das células.

Graças à presença de cálcio, zinco, silício e magnésio, a água do mar é usada para tratar doenças como artrite, osteoporose e reumatismo. Já o sal marinho, rico em cloreto de sódio, potássio e magnésio, tem propriedades cicatrizantes e antissépticas.
Banho de Sal Grosso

Benefícios do Banho de Mar

Se você não pode desfrutar de um banho de mar, você pode simular um em casa. É uma técnica chamada Thalassoterapia que usa as propriedades do sal marinho e das algas para ativar a pele e deixá-la mais bonita e revitalizada.

O banho de sal, assim como o banho de mar simples, tem muitos efeitos sobre os músculos e o sistema nervoso, assim agindo para combater o stress, e aliviando tensões. O sódio auxilia na eliminação das toxinas do organismo e age como o brometo de um relaxante muscular natural, que faz com que seja benéfico para quem sofre de artrite.

Os sais podem alterar o equilíbrio osmótico da água, e o sulfato de magnésio pode ser absorvido através da pele, causando um efeito anti-inflamatório.
Como tomar o banho de sal grosso?

Após seu banho convencional, deixe um punhado de sal grosso escorrer do pescoço para baixo, embaixo da água da ducha. Na banheira coloque um punhado de sal grosso junto com os produtos para o banho. Pode-se também fazer um escalda-pés com sal grosso.

Outro efeito é o de eliminar a energia negativa que acumulamos no dia a dia, e talvez este seja o mais aplicado na utilização do sal grosso no banho. O banho mais eficaz para a energia do corpo continua sendo o simples banho de mar (mas esse nem sempre está ao alcance de todos)

Muitos especialistas acreditam que os banhos de mar tragam benefícios à saúde. "A água marinha, composta por mais de 80 elementos químicos, alivia principalmente as tensões musculares, graças à presença de sódio em sua composição, por isso pode ser considerada energizante", afirma a terapeuta Magnólia Prado de Araújo, da Clínica Kyron Advanced Medical Center, de São Paulo.

"E as ondas do mar fazem uma massagem no corpo que estimula a circulação sangüínea periférica e isso provoca aumento da oxigenação das células", diz Magnólia.

Existe até um tratamento, chamado talassoterapia (do grego thalasso, que significa mar), surgido em meados do século 9 na Grécia, que usa a água do mar como seu principal ingrediente. Graças à presença de cálcio, zinco, silício e magnésio, a água do mar é usada para tratar doenças como artrite, osteoporose e reumatismo. Já o sal marinho, rico em cloreto de sódio, potássio e magnésio, tem propriedades cicatrizantes e anti-sépticas.

 Fonte: Cromo Caio via Facebook

ALIMENTOS QUE REPÕEM O COLÁGENO



CEREJAS, UVAS E SOJA:
Elas contêm flavonoides (potente antioxidante que neutraliza os radicais livres) e, assim, estimulam a renovação celular. São os radicais livres os responsáveis pelo envelhecimento celular. 

VITAMINA C:
É indicado consumir alimentos ricos em vitamina C, pois ela facilita a síntese do colágeno. Por isso, abuse das frutas cítricas como laranja, acerola, limão e abacaxi.

AVEIA E LEGUMINOSAS:
ão alimentos ricos em silício, um mineral proveniente de vegetais, sendo indicado para auxiliar na manutenção da rigidez celular. A aveia age sobre os músculos, tendões, cartilagens e articulações amenizando dores e outros problemas enfrentados devido à ausência de colágeno.

FRUTAS VERMELHAS:
São ricas em cianidina e vitamina C, antioxidantes que combatem os radicais livres. Seu consumo favorece as paredes dos vasos sanguíneos da pele, tornando-a mais irrigada e oxigenada. Além disso, as frutas vermelhas previnem o envelhecimento precoce das células, o excesso de oleosidade e a acne.

FEIJÃO, BRÓCOLIS E ERVILHA:
As folhas verde-escuras como espinafre ou outros alimentos como lentilhas, grãos, gema de ovo, fígado bovino e laranja são importantes pois são fontes de ácido fólico. O ácido fólico é um nutriente muito importante para síntese do RNA e DNA, sendo fundamental na replicação celular.

CARNES, OVOS E PEIXES:
são fontes de proteínas e de vitaminas B6 e B12. Além disso, são importantes para a flora intestinal agindo no metabolismo de carboidratos, lipídios e aminoácidos.

Fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=361213777324613&set=a.281676501945008.61447.281672101945448&type=1&theater

Três dicas para evitar a Hepatite B:



1. Tome a vacina. Existe uma vacina altamente eficaz contra a hepatite B. Atualmente todos os bebês a tomam ainda na maternidade, antes da alta. Mas muitos adolescentes e adultos não a receberam. Por isso, confira na sua carteira de vacinação se constam 3 doses de vacina para Hepatite B. Quem não sabe ou não se lembra, deve consultar o médico para receber a orientação correta e saber se pode tomar.


2. Use camisinha sempre. Uma das formas de contágio da Hepatite B é por contato sexual. Muitas pessoas que não estão doentes podem transmitir a doença. Como não dá para saber quem é o portador sem sintomas, é fundamental que se use a camisinha. Camisinha evita Hepatite B e muitas outras doenças sexualmente transmissíveis.

3.Quando for fazer as unhas, leve eu próprio kit de instrumentos. A Hepatite B também é transmitida pelo sangue. Os vírus são bastante resistentes. Se a esterilização não for segura e correta, os vírus podem permanecer “vivos” nos instrumentos por muito tempo. Por isso, a forma mais segura é possuir o seu próprio kit.

Prevenir doenças garante saúde! E quem tem saúde tem paz também!

Fonte: Dra Ana Escobar via Facebook

21/02/2013

Duas dúvidas: o que é lúpus? Tem tratamento?



Lúpus é uma doença que costuma afetar mais as mulheres. Apesar de ser rara, muitas pessoas tem dúvidas sobre as causas, o tratamento e principalmente, a cura.
Entenda: lúpus é uma doença que chamamos de autoimune. O que quer dizer isso? Isso significa que o organismo produz anticorpos contra nossos próprios órgãos. Isso mesmo. Quem tem lúpus produz anticorpos que, ao invés de defenderem o organismo, passam a ser agressores de alguns órgãos como, por exemplo, os rins. Ou seja, os anticorpos que deveriam nos defender passam a nos agredir. Isso é o que chamamos de doença autoimune.

É uma doença contagiosa? Pega ?

Não. Lupus é uma doença genética, por isto não é contagiosa. Não pega. 

Quando suspeitar de lúpus?

Um dos sinais importantes que o lúpus apresenta é uma lesão bem característica no rosto, na região das bochechas, que ficam bem vermelhas. A mínima exposição ao Sol também pode provocar lesões também vermelhas e descamativas pelo corpo. Dor nas articulações também é muito comum.

Mas veja bem: só o médico pode fazer o diagnóstico correto. O lúpus tem sinais bem definidos que chamamos de “critérios diagnósticos”. São 11 critérios diagnósticos. Mas muitas outras doenças podem apresentar sinais muito parecidos. Por isso ninguém deve se autodiagnosticar. Só o médico é que tem condições de diagnosticar.

Existe cura?
Lúpus é uma doença crônica. Não tem cura, mas muitas medicações indicadas atenuam os sintomas. E a boa notícia é que com o tratamento adequado e certinho pode-se ter uma vida com qualidade, praticamente normal.

Muitas vezes o problema não está na doença. Está nas pessoas que não se tratam e não se cuidam direitinho.

Saúde!

Fonte: Dra Ana Escobar via Facebook

Como a Alimentação pode Ajudar na Prevenção do Herpes



O verão é a estação onde as pessoas mais se expõem ao sol. É nessa exposição que nossas células de defesa podem ficar enfraquecidas, aumentando a incidência de herpes labial. Isso porque os raios solares ultravioleta, além de fragilizarem as nossas defesas, ressecam os lábios, que ficam mais vulneráveis. 

Assim, evitar a exposição excessiva ao sol, beber bastante líquido e utilizar protetor labial ou batom com filtro solar pode ajudar a prevenir a manifestação do vírus. 

Além disso, algumas modificações na dieta podem ser eficazes, já que com a imunidade em alta, fica mais difícil de o vírus aparecer. Veja as dicas: 

Probióticos? Sim, obrigada! 

Microorganismos vivos (bactérias benéficas) que recuperam a microbiota intestinal e fortalecem o sistema imunológico. Encontrados em cápsulas ou saches (pó). 

Contra o vírus: óleo de coco e óleo de alho 

Ambos possuem propriedades antibactericidas, antifúngicas e antivirais. Fortalecem o sistema imunológico, aumentando a resistência do organismo. 

Chia e linhaça: dupla poderosa 

Essas seme ntinhas são boas fontes de ômega-3, gordura insaturada, capaz de melhorar o sistema imune. Também podem ser encontradas na forma de óleo ou em cápsulas. 

Aminoácido do bem 

A lisina protege o corpo contra a ação do vírus e evita a ação do mesmo sob o organismo. O mecanismo explicativo para que isso ocorra é que por meio da lisina, o corpo passa a produzir enzimas, hormônios e anticorpos, que ajudarão no combate à doença. Boas fontes alimentares deste aminoácido são: ovos, peixes, soja e iogurte natural. 

Sinal de alerta! 

Sabe-se que um nutriente chamado arginina é capaz de estimular a replicação e o crescimento do vírus. Deve ser evitado por aqueles que freqüentemente apresentam as feridas características da doença. Alimentos fontes de arginina são: chocolate, milho, aveia e oleaginosas. 

Fonte: Flavia Figueiredo – nutricionista da rede Mundo Verde.

Como se proteger do assédio espiritual?



Sua proteção é você mesmo quem faz. Por isso, não adianta agir de forma negativa, baixar seu nível vibratório e depois rezar, pedir proteção e ajuda. Nenhum mentor espiritual poderá ajudá-lo efetivamente se você desconhece, (ou se conhece a ignora), a Lei da Afinidade (os semelhantes se atraem), umas das Leis Universais.
De acordo com essa lei é seu padrão de energia que irá determinar sua proteção contra os ataques, os assédios espirituais dos seres das trevas. Portanto, qual é a qualidade de sua energia? Que energia você irradia? 

É a energia que você emana que dará, ou não, acesso aos seres das trevas.

Sendo assim, para que o obsessor espiritual prejudique o obsidiado, ambos precisam consentir, tem que haver um laço de reciprocidade. E qual é esse laço?

É a ira, o ódio, o desejo de vingança, o sentimento de inferioridade, a rejeição, o medo, etc..

Nunca é demais lembrar que, da mesma forma que o amor une, o ódio também une.

Quem odeia, pensa o tempo todo na pessoa execrada, tanto quanto quem pensa sem parar na pessoa amada.

Portanto, esses laços de amor, ou ódio, quando encontram reciprocidade, ou seja, quando duas ou mais pessoas compartilham os mesmos sentimentos, acabam por se unir, atraindo-se mutuamente. É assim que funciona a Lei da Afinidade.

Portanto, o assédio espiritual só ocorre porque o assediado -embora não tenha consciência- de alguma forma está ligado energeticamente ao ser espiritual que o assedia, pois ambos estão sintonizados na mesma faixa vibracional.

Desta forma, se o assediado não mudar suas atitudes, não sair dessa vibração, o assédio espiritual irá continuar. Na maioria dos casos, a relação obsessor e obsidiado é algo secular ou mesmo milenar. 

Por isso, concordo plenamente com a doutrina kardecista quando se refere à reforma íntima, isto é, a necessidade de se fazer um trabalho interior de autoconhecimento para que possamos identificar e mudar -ou pelo menos atenuar- maus hábitos e imperfeições, traços ruins de personalidade, tendências negativas que trazemos de outras encarnações, tais como egoísmo, arrogância, prepotência, maledicência, sentimentos de inferioridade, culpa, baixa auto-estima, autodesvalorização, ganância desmedida, vícios, fobias, etc..

São esses maus hábitos e imperfeições que realimentam, que nos tornam vulneráveis aos ataques dos obsessores espirituais. Vale dar aqui duas dicas, sugestões de como se proteger dos assédios espirituais: 
- Não criticar ninguém: não apontar as falhas e os defeitos alheios. 

Pode acontecer daquela pessoa que você mais critica vir a ser a que mais lhe dará apoio num momento mais doloroso de sua vida; 
- Não julgar, não condenar ninguém: Jesus dizia: "Não julgueis para não seres julgado". 

O passado nos condena, pois enquanto seres espirituais em evolução, já erramos, cometemos erros, injustiças, prejudicamos as pessoas em outras encarnações com atos que hoje classificaríamos como bárbaros, atrozes, selvagens, mas que na existência passada não víamos dessa forma por falta de esclarecimento, de consciência desperta acerca das Leis Divinas. 

Então, pelo fato de não termos tido um passado louvável, fica claro que não temos nenhuma moral para julgarmos alguém, e é provável que quanto àquilo que a gente julga, tenhamos feito o mesmo e até pior nas vidas passadas.

Quem garante que isso não tenha acontecido? 

O véu do esquecimento do passado nos impede de sabermos. Por isso, é mais sábio e mais prudente não julgarmos; caso contrário, caímos na antiga expressão popular "O sujo falando do mal lavado". Em suma, não alimente o mal, a maledicência, pense somente no bem e viva em paz sob a proteção dos bons espíritos. Por fim, exercite sempre o perdão.

É fazendo o bem sem olhar a quem...e pondo na frente nosso coração transparente...quem acha que enganou o outro,só enganou a si mesmo.....somos todos irmãos..estamos todos no mesmo barco!

Fonte: Cromo Caio via Facebook

A LINGUAGEM DIRIGE OS NOSSOS PENSAMENTOS - 10 CUIDADO QUE DEVEMOS TER COM AS PALAVRAS.



A linguagem dirige nossos pensamentos para direções especificas e, de alguma forma, ela nos ajuda a criar a nossa realidade, potencializando ou limitando as nossas possibilidades. A habilidade de usar a linguagem com precisão é essencial para uma boa comunicação.

1) CUIDADO COM A PALAVRA NÃO. A Frase que contém NÃO, para ser compreendida, traz à mente o que está junto com ela. O NÃO existe apenas na linguagem e não na experiência. Por exemplo: pense em "NÃO"... Não vem nada à mente. Agora, vou lhe pedir não pense na cor vermelha... Eu pedi para você NÃO pensar na cor vermelha e você pensou. Procure falar no positivo, o que você quer e não o que você não quer.

2) CUIDADO COM A PALAVRA MAS, QUE NEGA TUDO QUE VEM ANTES. Por exemplo: "O Pedro é um rapaz inteligente, esforçado, MAS...". Substitua o MAS por E, quando indicado.

3) CUIDADO COM A PALAVRA TENTAR, QUE PRESSUPÕE A POSSIBILIDADE DE FALHA. Por exemplo: "Vou tentar encontrar com você amanhã às 8 horas". Em outras palavras: Tenho grande chance de não ir, pois vou "tentar". Evite TENTAR, FAÇA.

4) CUIDADO COM NÃO POSSO OU NÃO CONSIGO, que dão idéia de incapacidade pessoal. Use NÃO QUERO,NÃO PODIA ou NÃO CONSEGUIA, que pressupõe que vai conseguir, que vai poder.

5) CUIDADO COM AS PALAVRAS DEVO, TENHO QUE OU PRECISO, que pressupõem que algo externo controla a sua vida. Em vez delas use QUERO, DECIDO, VOU.

6) Fale dos problemas ou das descrições negativas de si mesmo, utilizando o verbo no passado. Isto libera o presente. Por exemplo, "Eu tinha dificuldade em fazer isto..."

7) Fale das mudanças desejadas para o futuro utilizando o tempo presente do verbo. Por exemplo: em vez de dizer "Vou conseguir", diga "Estou conseguindo".

8) Substitua o SE por QUANDO. Por exemplo: em vez de falar "Se eu conseguir ganhar dinheiro vou viajar", fale "Quando eu conseguir ganhar dinheiro vou viajar".

9) Substitua ESPERO por SEI. Por exemplo: em vez de falar "Eu espero aprender isso", diga "Eu sei que vou aprender isso". ESPERAR suscita dúvidas e enfraquece a linguagem.

10) Substitua o CONDICIONAL pelo PRESENTE. Por exemplo: Ao invés de dizer "Eu gostaria de agradecer à presença de vocês", diga "Eu agradeço a presença de vocês". O verbo no presente fica mais forte e concreto.


Texto de Solange ViaSol
Fonte: http://passarinhosnotelhado.blogspot.com.br/

20/02/2013

Tire suas dúvidas sobre as principais causas do câncer



Entenda o papel da genética e da alimentação no surgimento da doença - por Manuela Pagan

As causas do câncer ainda intrigam os especialistas, enquanto alguns hábitos são notadamente perigosos (caso do tabagismo, por exemplo), ainda existe dúvida em relação ao peso de fatores genéticos no surgimento da doença. A falta de repertório não afeta só a população leiga, mas também os profissionais da saúde - o assunto, inclusive, foi tema destaque no último congresso da Sociedade Europeia de Oncologia Clínica, realizado na Áustria. Conscientes de que há carência de informações seguras, principalmente, no que se refere à prevenção do câncer, os especialistas dedicaram horas para apresentar o que já se sabe - as revelações foram baseadas num estudo que avaliou as principais dúvidas de 748 pessoas quanto ao tema, a seguir você confere as principais novidades.

Genética
No Congresso, os especialistas apresentaram um estudo com 748 pessoas, incluindo profissionais de saúde, e 90% do grupo disse acreditar que a genética aumenta significativamente o risco de câncer. "Na realidade, apenas 5% a 8% dos tipos de câncer são, dependendo de sua localização, de fato causados por um gene herdado", afirma o oncologista Artur Malzyner, da Clinonco, de São Paulo. De acordo com o oncologista, a confusão provavelmente se dá porque existem fatores externos, como o tabaco, o álcool e substâncias presentes no plástico (como o bisphenol A) que causam a mutação dos genes, servindo como gatilho para um câncer. "Mas existem tipos de câncer com predisposição mais alta em caso de doenças de cunho genético, é o caso da polipose familiar do cólon (crescimento que se projeta da parte interna do cólon ou do reto)", diz o especialista.

Dieta desintoxicante
Quando questionados sobre como reduziriam seu risco de câncer, 27% dos entrevistados acreditavam que colocar em prática uma dieta de desintoxicação seria um bom método, enquanto 64% achavam que a comida orgânica protege contra o câncer. O nutricionista Fábio Gomes, do Instituto Nacional do Câncer (INCA), explica que o agrotóxico provoca vários problemas de saúde, mas a relação entre eles e o aparecimento do câncer ainda não é certo. Na dúvida, alimentos orgânicos continuam sendo a opção mais segura.

Carne vermelha
Cerca de 40% dos entrevistados desconhecia a relação entre o consumo da carne vermelha e o aumento do risco de câncer. Vários estudos já revelaram que comer muita carne vermelha pode ser prejudicial à saúde. Um deles, realizado pela Universidade de São Paulo e apresentado no Congresso da Sociedade Americana do Câncer, aponta o alimento como fator de risco para o câncer de intestino. A pesquisa revelou que quem consome carne bovina ou suína diariamente, em qualquer quantidade, apresenta 35% mais chances de desenvolver câncer de intestino grosso.

Carne processada
Está aqui um dos fatores de risco mais conhecidos, 85% dos participantes sabiam do risco de ingerir carne processada. O nutricionista Fábio Gomes explica que linguiça, salsicha, bacon e até o peito de peru contêm quantidades consideráveis de nitritos e nitratos. Essas substâncias, em contato com o estômago, viram nitrosaminas, capazes de promover mutação do material genético. "A multiplicação celular passa a ser desordenada devido ao dano causado ao material genético da célula. Esse processo leva à formação de tumores, principalmente do trato gastrointestinal", explica Fábio Gomes.

Telefone celular
Para 68% dos participantes da pesquisa, existe relação entre a radiação liberada pelo telefone celular e o desenvolvimento de câncer. O oncologista Artur explica que, de fato, existe tal associação (principalmente com tumores cerebrais) e que, apesar de discreta, ela merece atenção. A pedido da Organização Mundial de Saúde, 31 cientistas de 14 países revisaram estudos sobre a segurança do uso de telefones celulares. Os especialistas encontraram evidência suficiente para caracterizar o uso do aparelho como "possivelmente cancerígeno para humanos".

Obesidade
Apenas 32% dos participantes da pesquisa e 41% dos profissionais de saúde sabiam que a obesidade é um fator de risco para o câncer. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de um terço dos casos de câncer no mundo podem ser relacionados à obesidade. O oncologista Artur lembra que a obesidade, além de ser um hábito passado de pai para filho, também pode ser transmitida geneticamente. "Os hábitos que causam a obesidade, como a alimentação rica em gorduras e a falta de atividade física, afetam a família inteira", diz o médico.

Estresse
Mais de 90% dos participantes do estudo apontaram que o estresse pode ser o causador de câncer e eles estão certos. Alguns estudos já demonstraram que o estresse pode causar câncer indiretamente por enfraquecer o sistema imunológico e encorajar a formação de novos vasos sanguíneos para vascularizar o tumor. Outro estudo, publicado no The Journal of Clinical Investigation mostrou que hormônios como a adrenalina, liberada no momento de estresse, podem influenciar o crescimento e a metástase do tumor. A dica no especialista, entretanto, é para evitar o alarme exagerado. "Você precisa se autoconhecer, diferenciando situações de tensão comuns no dia a dia do estresse crônico, que causa alterações no organismo", afirma o oncologista Anderson Arantes Silvestrini, presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica.

Roupas apertadas
Roupas apertadas também foram citadas pelos participantes da pesquisa como um fator que aumenta a incidência do câncer. Segundo os pesquisadores do estudo e os especialistas entrevistados, não existe qualquer relação entre roupas apertadas e o desenvolvimento de tumores. O oncologista Anderson conta ainda que não há qualquer ligação entre a compressão, no caso o sutiã, e o câncer de mama.

PROFESSORES E O DÉFICIT DE ATENÇÃO



PROFESSORES E O DÉFICIT DE ATENÇÃO - Tainah Medeiros

Os professores passam longas horas do dia com as crianças na sala de aula, e por isso muitas vezes são os primeiros a perceberem nelas os sintomas deTDAH (Déficit de Atenção e Hiperatividade). Consequentemente, seu papel é importantíssimo na orientação que deve ser dada aos pais, mas não significa que eles estão aptos a fazerem diagnósticos.

Para a psicóloga Roseli Caldas, da Abrapee (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional), a suspeita que muitos professores têm de que seus alunos possuem TDAH pode ser infundada, já que em uma “sociedade hiperativa” como a atual, as crianças têm inúmeros estímulos ao mesmo tempo, o que pode distrai-las. Além disso, a desatenção constantemente se dá em função de aulas enfadonhas, pouco estimulantes, distanciadas da realidade e sem atender às necessidades reais da criança .
“As atividades propostas às crianças devem fazer sentido para elas, o que irá possibilitar maior chance de motivação, atenção e interesse. É preciso conhecer e buscar compreender quais as razões da aparente desatenção. Sempre estamos focando nossa atenção em algo. Se não é na aula, é preciso identificar em que a criança está escolhendo manter a atenção e por quê”, afirma a psicóloga.

Outra questão recorrente é que muitos pais são excessivamente permissivos, têm dificuldade de estabelecer regras e limites sociais, e seus filhos acabam facilmente “confundidos” com portadores de TDAH. “Isso é quase um álibi, uma vez que parece mais aceitável socialmente que o filho seja portador de TDAH do que tido por ‘mal educado’”, afirma Caldas.

A psicóloga sugere algumas alternativas para quem precisa trabalhar com grupos grandes de crianças:

* Aproveitar as crianças que aprendem com mais rapidez para que auxiliem seus colegas. É o conceito de “pares mais hábeis”, utilizado pelo psicólogo russo Lev Vigotski, representante da Psicologia Histórico-cultural e que tem sido muito relevante para a compreensão dos fenômenos educacionais pela psicologia escolar contemporânea;

* Utilizar diferentes técnicas e metodologias. Há os que aprendem melhor ouvindo, os que precisam manipular, os que gostam de falar enquanto aprendem;

* Estabelecimento regras de convivência em conjunto com as crianças. A participação na criação das regras é fundamental para o cumprimento e adesão às normas. Limites, organização e boas relações são fundamentais para que os processos de ensino e aprendizagem se deem de modo eficaz;

* Vínculos afetivos entre educadores e educandos. Este é, muitas vezes, o caminho para se conseguir a aproximação das crianças e seu envolvimento com o conhecimento. Um professor rude, sem paciência, sem senso de humor terá mais dificuldade para manter a atenção de seus alunos. O “tom” do que se desenvolverá precisa ser dado pelo professor, afinal, ele é o responsável pela educação. Entretanto, a participação e aproximação dos alunos devem fazer parte do cotidiano escolar.

Fonte: www.drauziovarella.com.br

A OBSESSÃO PELO MELHOR



Recebi esse texto por e-mail e achei o conteúdo digno de ser publicado... Boa Leitura!
Sobre a autora: Leila Ferreira - Jornalista mineira com Mestrado em Letras e Doutora em Comunicação em Londres, e que optou por viver uma vida mais simples, em Belo Horizonte

"Estamos obcecados com 'o melhor'. Não sei quando foi que começou essa mania, mas hoje só queremos saber do "melhor". Tem que ser o melhor computador, o melhor carro, o melhor emprego, a melhor dieta, a melhor operadora de celular, o melhor tênis, o melhor vinho. Bom não basta. O ideal é ter o top de linha, aquele que deixa os outros pra trás e que nos distingue, nos faz sentir importantes, porque, afinal, estamos com 'o melhor'. Isso até que outro "melhor" apareça e é uma questão de dias ou de horas até isso acontecer. Novas marcas surgem a todo instante. Novas possibilidades também. E o que era melhor, de repente, nos parece superado, modesto, aquém do que podemos ter. O que acontece, quando só queremos o melhor, é que passamos a viver inquietos, numa espécie de insatisfação permanente, num eterno desassossego. Não desfrutamos do que temos ou conquistamos, porque estamos de olho no que falta
conquistar ou ter.

Cada comercial na TV nos convence de que merecemos ter mais do que temos. Cada artigo que lemos nos faz imaginar que os outros (ah, os outros...) estão vivendo melhor, comprando melhor, amando melhor, ganhando melhores salários. Aí a gente não relaxa, porque tem que correr atrás, de preferência com o melhor tênis. Não que a gente deva se acomodar ou se contentar sempre com menos. Mas o menos, às vezes, é mais do que suficiente. Se não dirijo a 140, preciso realmente de um carro com tanta potência? Se gosto do que faço no meu trabalho, tenho que subir na empresa e assumir o cargo de chefia que vai me matar de estresse porque é o melhor cargo da empresa? E aquela TV de não sei quantas polegadas que acabou com o espaço do meu quarto? O restaurante onde sinto saudades da comida de casa e vou porque tem o 'melhor chef'? Aquele xampu que usei durante anos tem que ser aposentado porque agora existe um melhor e dez vezes mais caro? O cabeleireiro do meu bairro tem mesmo que ser trocado pelo "melhor cabeleireiro"?
Tenho pensado no quanto essa busca permanente do melhor tem nos deixados ansiosos e nos impedido de desfrutar o 'bom' que já temos. A casa que é pequena, mas nos acolhe. O emprego que não paga tão bem, mas nos enche de alegria. A TV que está velha, mas nunca deu defeito. O homem que tem defeitos (como nós), mas nos faz mais felizes do que os homens 'perfeitos'. As férias que não vão ser na Europa, porque o dinheiro não deu, mas vai me dar à chance de estar perto de quem amo... o rosto que já não é jovem, mas carrega as marcas das histórias que me constituem. O corpo que já não é mais jovem, mas está vivo e sente prazer. Será que a gente precisa mesmo de mais do que isso? Ou será que isso já é o melhor e na busca do 'melhor' a gente nem percebeu?"

Sofremos demais pelo pouco que nos falta e alegramo-nos pouco pelo muito que temos.(Shakespeare) 

O lado sombrio dos Buscadores da Luz



Um dos principais temas da vida e dos livros da escritora americana Debbie Ford (1955-2013) foi a popularização do tema da “sombra“, conceito criado pelo psicólogo suíço Carl Gustav Jung, e que ela explorou bastante no livro “O Lado Sombrio dos Buscadores da Luz” (The Dark Side of The Light Chasers, 1998). É uma obra naturalmente introdutória mas bastante interessante e riquíssima em exemplos de como nossa sombra aparece e se projeta no mundo (e nos outros), no relato das experiências pessoais da autora e na citação de outros autores que exploraram o tema. Em virtude do seu falecimento em 18/02/2013, de câncer, aos 57 anos, selecionei 7 trechos dessa obra que li há muito tempo, mas que lembro ter elucidado com simplicidade e facilidade esse tema absolutamente essencial para o crescimento de qualquer pessoa, sem exceções.

Seguem os trechos de “O Lado Sombrio dos Buscadores da Luz” (Cultrix):


[1] “Meu amigo Bill Spinoza, um instrutor de grupo de estudos superiores da Landmark Education, diz: “Aquilo com que você não consegue coexistir não o deixará existir ”. Você precisa aprender a deixar que tudo o que você é exista. Se quiser ser livre, antes de tudo tem de “ser”. Isso significa que precisamos parar de nos julgar. Devemos nos perdoar por sermos humanos, imperfeitos. Porque, ao nos julgar, estamos automaticamente julgando os outros. E o que fazemos com os outros fazemos com nós mesmos. O mundo é um espelho de nós mesmos. Quando conseguimos nos aceitar e nos perdoar, fazemos a mesma coisa com os outros. Essa foi, para mim, uma dura lição a ser aprendida.

[2] A maioria das pessoas tem medo de encarar e assumir o seu lado sombrio, mas é lá na escuridão que você encontrará a felicidade e a sensação de estar completo com que vem sonhando há tanto tempo. Quando você usa o seu tempo para se descobrir por inteiro, abre as portas do verdadeiro esclarecimento. Uma das armadilhas da Era da Informação é a síndrome do “já conheço isso”. Com freqüência, o conhecimento nos impede de viver a experiência em nosso coração. O trabalho com a sombra não é intelectual; é uma viagem da mente ao coração. Diversas pessoas que trilham o caminho do aperfeiçoamento individual acreditam que completaram o processo, mas são incapazes de enxergar a verdade sobre si mesmas. Muitos de nós almejam ver a luz e viver na beleza do seu eu mais elevado, mas tentamos fazer isso sem integrar todo o nosso ser. Não podemos ter a experiência completa da luz sem conhecer a escuridão. O lado sombrio é o porteiro que abre as portas para verdadeira liberdade. Todos devem estar atentos para explorar e expor continuamente esse aspecto do ser. Quer você goste ou não, sendo humano, você tem uma sombra. Se não consegue vê-la, pergunte a alguém da família ou às pessoas com quem trabalha. Elas vão indicá-la para você. Pensamos que nossas máscaras mantêm nosso eu interior escondido, mas, todas as vezes que nos recusamos a reconhecer aspectos nossos e quando menos esperamos, ele dá um jeito de erguer a cabeça e fazer-se conhecido.

[3] A projeção é um fenômeno fascinante que a grande maioria das escolas deixa de ensinar aos estudantes. É uma transferência involuntária do nosso próprio comportamento para outras pessoas, dando-nos a impressão de que determinadas características estão presentes nos outros. Quando sofremos de ansiedade no que diz respeito às nossas emoções ou partes inaceitáveis da nossa personalidade, atribuímos esses aspectos – como um mecanismo de defesa – a objetos exteriores a nós ou a outras pessoas. Quando somos intolerantes com as outras pessoas, por exemplo, estamos inclinados a atribuir nosso sentimento de inferioridade a elas. Evidentemente, há sempre um “gancho” que favorece nossa projeção. Alguma qualidade imperfeita em outra pessoa ativa uma parte de nós mesmos que quer nossa atenção. Dessa forma, tudo o que não assumimos em relação a nós mesmos projetamos em outras pessoas.

[4]Instintivamente, nós recuamos diante de nossas projeções negativas. É mais fácil examinar aquilo que nos atrai do que aquilo que nos causa aversão. Se fico aborrecido com sua arrogância, é porque não estou assumindo a minha própria. Isso também é arrogância, que agora estou demonstrando sem perceber, ou a arrogância que renego, a qual serei capaz de demonstrar no futuro. Se fico aborrecido com a arrogância, preciso examinar bem de perto todos os recantos da minha vida e me perguntar o seguinte: no passado, quando fui arrogante? Estou sendo arrogante neste momento? Pode acontecer que eu me comporte com arrogância no futuro? Com certeza eu estaria sendo arrogante se respondesse não a essas perguntassem me examinar com cuidado ou sem perguntar a outras pessoas se alguma vez me viram agindo com arrogância. O ato de julgar alguém é arrogante; portanto, evidentemente, todos temos a capacidade de ser arrogantes. Se eu incorporar minha própria arrogância, não me aborrecerei com a dos outros. Vou percebê-la, mas ela não me afetará. A tomada da minha arrogância estará envolvida por uma chapa de proteção. Só quando você mente para si mesmo ou odeia alguma característica sua é que recebe uma carga emocional originada do comportamento de outra pessoa.

[5] Nossa carapaça exterior é que enfrenta o mundo, escondendo as características que constituem sua sombra. Nossas sombras são tão bem disfarçadas que, muitas vezes, mostramos uma face para o mundo quando, de fato, é o extremo oposto que realmente está dentro de nós. Algumas pessoas usam uma camada de agressividade, que esconde sua sensibilidade, ou uma máscara de humor, para cobrir sua tristeza. As pessoas que “sabem tudo” normalmente estão disfarçando o fato de se sentirem burras, enquanto que as que agem com arrogância precisam ainda revelar sua insegurança. A pessoa gentil, esconde o canalha dentro de si, e a sorridente oculta a irritada. Precisamos olhar além de nossas máscaras sociais para descobrir nosso eu autêntico. Somos mestres do disfarce, enganamos os outros, mas nos enganando também. São as mentiras que contamos a nós mesmos que temos que decifrar. Quando nunca nos sentimos completamente satisfeitos, contentes, saudáveis ou realizando nossos sonhos, é porque essas mentiras estão no nosso caminho. É assim que reconhecemos nossa sombra, quando a trabalhamos.

[6] A maioria das pessoas almeja encontrar a paz de espírito. Essa é a busca de uma vida, uma tarefa que requer nada menos do que aceitar a totalidade do seu ser. Descobrir benefícios até nas qualidades que mais odiamos é um processo criativo que necessita apenas do desejo profundo de ouvir e aprender, da vontade de liberar crenças e juízos anômalos e da prontidão para se sentir melhor. Seu verdadeiro eu não julga. Somente o ego guiado pelo medo cria juízos para nos proteger – proteção essa que, ironicamente, nos impede de chegar à realização pessoas, Precisamos estar preparados para amar tudo aquilo de que temos medo. “Meus ressentimentos escondem a luz do mundo”, como está escrito em Um Curso em Milagres.

[7] Um velho mestre diz: “O mundo é um professor para o sábio e um inimigo para o tolo”. Nenhum acontecimento é doloroso em si e por si mesmo; tudo é uma questão de perspectiva. É importante compreender que tudo o que acontece no mundo é exatamente como deveria ser. Não há erros nem acidentes. O mundo é um céu paradisíaco e um abismo sem fundo. Quando compreendemos que não podemos ter um sem ter o outro, fica mais fácil aceitar o mundo como ele é. Olho para o meu passado cheio de mentiras e de ilusão, dor e mágoa, drogas e sexo, mas sei que, sem todas essas experiências e a escuridão que me acompanhou durante tanto tempo, eu não teria sido capaz de ensinar como faço hoje. Todos os incidentes do meu passado, as noites insones, as lágrimas derramadas me deixam um pouco mais perto de cumprir a jornada da minha alma. Ninguém diz aquilo que digo da mesma maneira que eu. Ninguém faz as coisas que faço do mesmo jeito que eu. Eu sou eu e você é você. Cada um de nós é único, e todos nós temos uma jornada própria especial.